22 março 2009

COLETIVA DO DORIVAL JUNIOR



Confira alguns trechos da entrevista de Dorival Junios após a vitória no clássico contra o Flamengo.

Neles, o melhor técnico do campeonato carioca fala sobre o jogo, sobre a polêmica expulsão de Carlos Alberto e sobre a entrega dos atletas.

Confira abaixo:

ENTREVISTA COLETIVA DE DORIVAL JUNIOR

O JOGO

"Acho que foi um jogo um pouco atípico. Primeiro, pelo número de expulsões, sete cartões [amarelos] só do nosso lado, mais alguns cartões para o lado do Flamengo. Um jogo bem diferente, muito franco, as duas equipes não se preocupando muito com posicionamentos, jogando muito no erro do adversário. No momento em que você tentava um ataque, era interceptado, já vinha a outra equipe tentando, da mesma forma. Um jogo muito aberto, muito franco. O que eu vi é que a equipe do Vasco teve uma agressividade para querer vencer essa partida, em todos os sentidos. Por ter sido uma partida muito aberta, acho que foi um jogo bonito de se ver, emoção até o último instante praticamente, as duas equipes buscando o gol com intensidade. O jogo caiu de rendimento apenas nos últimos minutos, onde naturalmente sentiram, pela velocidade que foi imposta durante os 90 minutos. Fico contente com aquilo que eu vi da minha equipe, não tanto no plano tático, muito mais na entrega, no comprometimento em busca do resultado. Acho que isso foi fundamental para que tivéssemos hoje uma grande vitória."

MOTIVOS PARA A GRANDE DIFERENÇA EM RELAÇÃO A 2008

"Eu não sei. Para mim, é difícil eu fazer uma análise como essa. O que eu vejo é que estamos tentando aproveitar o máximo possível os períodos que temos para treinamento. Eu sinto um reciprocidade naquilo que a equipe deseje receber, naquilo que a equipe esteja aberta para poder realmente fazer com que as coisas aconteçam. Eu vi hoje, em vários lances, a gente tentando as movimentações treinadas, em algumas delas com sucesso, em outras delas sendo interceptadas, mas tentando fazer, a equipe tentando melhorar, tentando ter possa de bola, o que tivemos muito pouco na primeira etapa. O que a gente sente é isso, que está existindo uma entrega. Mas em cima de uma disposição muito grande em querer acertar. E isso acontecendo em treinamentos, em trabalhos. É isso que nos deixa satisfeito, acho que vendo um grupo todo ele focado, mesmo o pessoal que às vezes fica fora das convocações. Mas trabalhando com uma intensidade muito forte. Acho que isso tem ajudado a equipe principal, a equipe teoricamente momentaneamente titular, e ajudado a quem fica de fora, que sabe que nos momentos em que entra, pode vir a ser decisivo, como tem acontecido. A maioria dos jogadores que entram têm nos dado um apoio, um suporte muito grande, e feito com que o grupo realmente aja como uma grande equipe. Mas tudo isso, eu acho que em razão da maneira como os jogadores estão enfrentado a situação, tudo aquilo que vem acontecendo, ficando com um jogador a menos. Ficamos com um jogador a menos nos três clássicos, praticamente. Acho que isso é um fato importante, chama atenção. Espero que seja mantida, porque para que você possa conquistar alguma coisa, esse espírito não pode esmorecer em momento nenhum."

FALTAR MENOS PARA O VASCO IDEAL

"Não. Acho que ainda continua faltando. Acho que uma equipe, para ser uma grande equipe, precisa de uma grande sequência, e uma sequência farta, um pouco mais ampla. Acho que a equipe está caminhando, tentando se corrigir, mostrando erros, como aconteceu na tarde-noite de hoje, erros onde também o adversário poderia ter tirado proveito. Logicamente que têm acontecido, felizmente, muito mais coisas positivas do que negativas. Mas a gente não pode achar que as coisas já estejam encaminhas, não. Temos que continuar trabalhando com intensidade, com força, motivando os jogadores, e tentando mostrar tudo aquilo que tem acontecido, porque hoje, para mim, taticamente falando, não foi uma grande partida, tanto do nosso lado como do lado do Flamengo. Felizmente, o resultado nos sorriu. Foi uma partida muito franca, muito aberta. O Vasco jamais se expôs da maneira como acabou acontecendo hoje, jamais deu tantas facilidades ao adversário de poder criar, como acabou acontecendo hoje. Isso é sinal que faltou alguma coisa. Nós temos que corrigir rapidamente."

EXPULSÃO

"É difícil. Eu não quero aqui atacar ninguém. Eu apenas acho que foi um erro naquele momento, porque o Luís não apitou com a intensidade que precisava, tanto é que o Carlos continuou a jogada automaticamente. Ele nem fez menção de parar em momento nenhum. E depois, logicamente que ele dando sequência à jogada, ele teve por obrigação de expulsá-lo. Mas foi, pela situação da partida, o grito de momento das torcidas, a própria situação de jogo, um apito que infelizmente acabou precipitando essa situação e fazendo com que tivéssemos um jogador expulso em um momento importante, sem que talvez, na minha cabeça, ele merecesse essa punição."


PERSEGUIÇÃO

"Eu quero acreditar que não, que não exista isso. Acho que o Carlos está tentando modificar totalmente a postura que vinha tendo, e isso acontecendo desde o ano passado. É louvável o esforço que ele está fazendo. Eu espero uma compreensão maior da arbitragem, ou das arbitragens, em relação à postura do Carlos, a partir de agora. Acho que está na hora de nós mostrarmos também que está existindo um amadurecimento do Carlos Alberto, um crescimento. O que ele fazia anteriormente, ele deixou de fazer completamente esse ano. O Carlos jamais se prepara novamente para receber uma bola com os braços abertos, como vinha acontecendo. Ao contrário, toda bola que ele protege, ele protege um pouco mais, com uma postura diferenciada. Eu espero que comecemos a entendê-lo um pouco mais. Acho que está na hora, porque o Carlos está dando uma resposta em campo, procurando jogar futebol, e jogando um futebol de qualidade. Acho que isso é um fato que ninguém pode contestar. Se muitos têm alguns pontos que discordam em relação à postura do Carlos, acho que está na hora também de começarmos a reconhecer que ele está procurando fazer de uma maneira correta, e vem executando com brilhantismo a sua parte dentro de campo."

ENTREGA DOS ATLETAS

"Fico contente pela entrega que vi e não pelo futebol mostrado pelo Vasco. Existe uma disposição e reciprocidade dos atletas para com o meu trabalho. Existe uma disposição muito grande em querer acertar. Não foi um clássico de grandes jogadas técnicas, mas valeu pelo resultado"

Fonte: Netvasco

Um comentário:

  1. Isso sim é treinador!

    obrigado Dorival.. por trazer meu vasco de volta!

    ResponderExcluir