03 abril 2011

Eternamente Denner


Ontem foi um dia muito importante para a torcida do Vasco. Muitos torcedores devem ter lembrado que no dia de ontem nascia um dos atacantes que mais fez essa imensa torcida bem feliz, ficar mais feliz ainda, o atacante Edmundo. Mas, além disso, muitos não devem se lembrar, mas se estivesse vivo o atacante Denner teria completado ontem 40 anos. Uma das maiores promessas que passou pelo Vasco da Gama, atacante bom de bola, foi um grande jogador. Poderia ter conquistado muito mais títulos , feitos muito mais gols, além de sues dribles de moleque que encheram os olhos de cada torcedor do Vasco. Infelizmente, o grande futuro de Denner foi interrompido por um grave acidente de carro que acabou o levando-o à morte.

Denner nasceu em 12 de abril de 1971, em São Paulo. Sua mãe teve que criá-lo sozinho com muita dificuldade, pois era órfão de pai.

Denner começou na Portuguesa, nas categorias de base do time paulista e em 1988 chegou aos profissionais. O primeiro técnico de Denner no profissional da Portuguesa é um velho conhecido de todos os torcedores do Vasco - Antonio Lopes. Mas o sonho do menino franzino, bom de bola e cheio de dribles de ser jogador de futebol quase não se concretizou. Em 86, quando ainda estava na base da Lusa foi obrigado a deixar seu sonho de lado, afinal tinha que ajudar sua mãe com as despesas da casa. Denner perdeu o pai ainda criança com apenas 8 anos, ele e seus irmãos, desde cedo, foram obrigados a trabalhar. Em 88 ele voltou a treinar na base da Portuguesa, após uma tentativa frustrada em um grande time de São Paulo. Antes de voltar para o time lusitano ele chegou a treinar durante 3 meses no São Paulo. Pouco depois de voltar à Portuguesa, o menino que fazia mágica com a bola chegou aos profissionais após ser puxado pelo técnico Antonio Lopes. Denner treinava pelo time profissional e jogava pelo time de juniores, e desta forma a Portuguesa conseguiu conquistar um título inédito. Junto com sua equipe, Denner foi Campeão da Taça São Paulo de Juniores, em 1991, e também foi eleito melhor jogador do Campeonato. Denner parecia esquecer toda e qualquer dificuldade quando entrava em campo e finalmente, em 1991, começou a atuar pelo time profissional da Lusa. O menino bom de bola e bom de drible chegou com apenas 20 anos à seleção Brasileira, tendo sido convocado para um jogo contra a Argentina realizado no dia 27 de março, em Buenos Aires. Ficou na Portuguesa por mais um tempo, mas Denner parecia não ter mais espaço e preferiu buscar novos ares. Foi emprestado para o Grêmio em 1993, time pelo qual disputou o Campeonato Gaúcho, ficando lá por apenas 3 meses. Em 1994 chegou ao Vasco e apesar do período curto em que participou sua atuação foi marcante tendo passado a fazer parte da história do Vasco. Logo que chegou não demorou muito para conquistar a torcida do Vasco , em apenas 2 jogos toda a nação cruzmaltina já estava encanta.

Denner parecia brincar com a bola, para ele tudo era mais fácil. Muitos jogadores renomados foram alvos de seus dribles de moleque. Naquela época, certamente se perguntasse para um menino pequeno em quem se inspirava como grande jogador, certamente ouviria como resposta: Denner. Mas o atacante driblador tinha algo mais mágico que os dribles, os belos gols que marcou em sua curta passagem pelo Vasco.

Estreou contra o Volta Redonda, no dia 30 de janeiro de 1994 e logo em seu primeiro jogo deu o seu cartão de visitas, marcando o 2ª gol do Vasco contra o Voltaço. O jogo terminou 2 X 0 para o time da colina.

No 2ª jogo, dia 7 de fevereiro, contra o Bangu, em São Januário, em jogo duro , truncado coube ao maestro do ataque cruzmaltino, marcar um gol aos 33 do 1º tempo e selar a vitória do Vasco.

No dia 9 de março, pela 8ª rodada, o Vasco enfrentou o Olaria, em São Januário. O Vasco venceu por 2 X 1 e um dos gols do Vasco foi marcado por Denner. Esse foi o último gol de Denner pelo Carioca de 1994.

O Vasco acabou sendo campeão mesmo sem Denner, mas todos sentiram a falta daquele futebol alegre, travesso, infantil ou até mesmo moleque.

Denner faleceu na madrugada do dia 19 de abril de 1994. O acidente ocorreu no Rio de Janeiro e o lugar está marcado na memória de todos que viram seu futebol, em uma placa que foi colocada no local, dias depois.

Dener voltava de São Paulo, onde havia se reunido com dirigentes da Portuguesa e do Stugart, da Alemanha para uma futura transferência, e passado o fim de semana com a família, quando o seu carro, dirigido pelo amigo Oto Gomes, perdeu a direção e chocou-se com um árvore na Lagoa Rodrigo de Freitas. O jovem jogador viajava dormindo no banco do carona do seu carro e foi sufocado pelo cinto de segurança, terminando tragicamente uma carreira promissora. Investigações posteriores descobriram que Dener deixou o banco inclinado demais, anulando a eficiência do cinto. Mesmo assim, a morte do jogador de futebol fez com que muitos jovens passassem a recusar o uso do dispositivo de segurança, que se tornaria obrigatório em 1998.

No mesmo ano foi disputada a Copa Denner para homenagear o grande jogador. Um torneio reunindo Cruzeiro, Atlético, ambos de Minas, Botafogo e Vasco, do Rio de Janeiro, Portuguesa e Santos, sendo que o Santos FC sagrou-se campeão ao vencer o Atlético Mineiro por 4 x 2. Denner deixou 3 filhos pequenos, e sua esposa teve muita dificuldade para receber o seguro que o Vasco deveria ter feito em nome de Denner, na época, mas não havia feito. Após dez anos de uma briga judicial ficou decidido que o Vasco deveria pagar uma quantia à Portuguesa, dona do passe e a viúva de Denner. A Portuguesa não teve problemas para receber o que era dela, mas a viúva de Denner, Luciana Gabino, teve que entrar na justiça contra o clube de São Januário pedindo o que lhe era de direito. O clube argumentava que Luciana não era casada com Denner, mesmo estando com ele há mais de 4 anos e ter três filhos com o jogador.

Estamos nesta coluna homenageando Denner pelo seu futebol alegre e pelos seus fantásticos dribles e lembrando de um jogador importante na história do Vasco, tanto para todos os torcedores que o viram jogar como para os novos torcedores vascaínos.

Até o próximo Domingo,

Elisa de vicq de Souza Dantas


Nenhum comentário:

Postar um comentário