15 março 2010

Ás Armas!


Heróis do mar, nobre povo,
Nação valente, e imortal,
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria sente-se a voz
Dos teus egrégios avós,
Que há-de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!

Mas se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.

É com trechos dos hinos Nacionais de Brasil e Portugal que inicio meu post, como vocês podem ler as duas partes vemos do que se trata, de luta, de brio, de força, de superação o que têm faltado? Temos tido resultados, mas não vivemos de resultado, vivemos de AMOR e a maior demonstração de amor nós sempre demos, só não estamos sendo correspondidos (mas como não se temos resultados?) o resultado é o que menos tem importado, não temos a entrega, a garra, a gana de tempos atrás, então Vascaínos, vamos às Armas, mas não para brigar e arrumar confusão, nossa maior arma é a VOZ, claro que não somos "mulher de malandro" pra ficar apoiando incondicionalmente, temos que cobrar.

Não somos só nós os torcedores que devemos Lutar... mas os jogadores também, principalmente eles... em nossa tradição sempre tivemos jogadores com espirito de luta, garra, gana, força e poder de superação, iniciando com os Camisas negras, passando por Bellini e Orlando e assim por todo Expresso da Vitória, pelos dribles de Dener, o Edmundo em 97, o Sorato em pleno morumbi, pelas cabeleiras de Quinhones, até mesmo de figuras que não entraram em campo como Pai Santana, A virada mais bonita da história com os "Juninhos" e Romário, e até mesmo o Cocada, que um dia era irmão do atacante sãopaulino, outro era ídolo de uma nação, e a maior de todas a Família Vascaína construindo nossa casa.

É esse o espírito, esse tem de ser o espírito qualquer coisa que não seja isso, não é Cruzmaltino.

Abençoada é a criatura que trás consigo no peito uma Cruz no lugar de um coração! ~ Klauber Junior ~

2 comentários:

  1. É bem essa a ideia, o papel da torcida é apoiar sem deixar de cobrar quando necessario e o papel dos jogadores fundamentalmente é demontrar garra, disposição e se não der na tecnica que vá na raça mesmo, abraço.

    Saudações do Gremista Fanático

    ResponderExcluir
  2. É isso ai, assino em baixo.

    Abraço
    Jeferson

    ResponderExcluir