21 agosto 2011

Uma virada vascaína



Vasco e Fluminense já disputaram dezenas de clássicos, cada jogo é um jogo. Entretanto existem partidas que ficam para sempre marcada na memória dos torcedores. Que torcedor do Fluminense não vai lembrar-se da vitória de virada ocorrida no dia 4 de agosto de 2005 válido pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. O torcedor do Vasco logo vai retrucar lembrando-se da final do Carioca de 2003 quando Leo Lima cruzou de letra, o atacante Souza escorou e seu companheiro de ataque Cadu desviou para o gol selando a conquista do título do Campeonato Estadual.

Mas um jogo com toda a certeza ficou marcado na memória das duas torcidas. O jogo era válido pelo Brasileiro de 2000. O Vasco vinha fazendo uma boa campanha. Enquanto isso o time tricolor era o líder do Campeonato Brasileiro, depois de um longo doloroso inverno em que havia passado pelas séries B e C. Sem dúvida o jogador que mais poderia levar perigo ao Vasco era o atacante Magno Alves.

O jogo foi realizado em uma quarta feira, dia 13 de setembro de 2000, às 20:30 . A torcida do Vasco estava em menor número que a torcida rival. O Vasco estava com o time quase completo, isso porque nosso grande goleiro Helton estava disputando os Jogos Olímpicos de 2000, onde foi massacrado por todos os lados, sendo chamado de responsável pela eliminação brasileira no futebol quando fomos derrotados pela seleção de Camarões na prorrogação, sendo que passamos a maior parte do jogo com dois a mais em campo.

Mas vamos ao que interessa e chega de enrolação. O Vasco não vinha bem no campeonato, cheio de altos e baixos. Já tínhamos disputados 30 pontos e o time da Colina tinha feito apenas 14 pontos, menos da metade dos pontos disputados. Normalmente poderia se esperar que a torcida do Vasco fosse maioria, mas nesse jogo ocorreu o contrário, a torcida do Fluminense era maior do que a ressabiada torcida do Vasco. O jogo não poderia ter começado pior para o time da Colina. Com um minuto de jogo pênalti para o Fluminense, cometido por ele , sempre ele! Junior Baiano, que de tanto reclamar da marcação foi punido com cartão amarelo. Magno Alves cobrou e o goleiro Marcio nem saiu na foto: 1 a 0 Fluminense. Pouco depois o goleiro do Vasco, Marcio levou mais um gol para a sua coleção de gols ridículos. Agnaldo, atacante do Fluminense, chutou a bola que resvalou em um defensor do Vasco e certamente iria entrar. Marcio saiu desesperadamente do gol, mas de nada adiantou. Quase de fora de área o atacante do time das Laranejeiras tocou por cima do goleiro do Vasco. Odvan ficou olhando, Junior Baiano até tentou impedir o gol, mas não obteve sucesso: 2 a 0 com apenas 12 minutos de jogo. Aos 28, um baixinho bom de bola e com faro de gol começou a fazer a diferença. Juninho Paulista driblou facilmente três jogadores e entrou na área, após isso deu uma de garçom dando um passe açucarado para ele, sempre ele: Romário completar a bola para o gol de carrinho. Era o Vasco diminuindo o placar. Nem deu tempo do time tricolor raciocinar que o placar havia diminuído. Isso porque aos 30 minutos o Vasco empatou em uma falta sensacionalmente batida por Juninho Pernambucano.

No segundo tempo, após ter se equivocado no 2º gol do Fluminense, Odvan mostrou que não estava numa noite muito boa. Agnaldo chutou cruzado de dentro da área, Odvan rebateu para tentar impedir que Magno Alves completasse para o gol. Mas a bola voltou a sobrar para Agnaldo que se livrou da marcação do veterano lateral esquerdo e cabeça de área Jorginho, que tinha chegado ao Vasco naquele ano, mas não deu: gol de Agnaldo. O atacante do tricolor chutou para o gol, por pouco Magno Alves não conseguiu desviar, 3 a 2 Fluminense aos 14 do 2ª tempo.

Mas a alegria tricolor durou bem pouco, apenas 3 minutos pois aos 17 o atacante Euller, também conhecido como filho do vento foi derrubado dentro da área. Romário cobrou e o Vasco voltou a empatar a partida. A partir daquele momento, o jogo seria decido na sorte, muitos acreditavam que a partida terminaria empatada, mas o volante Paulo Miranda não permitiu que o Vasco perdesse 2 pontos. Ele tocou de calcanhar para Juninho Paulista, o armador do Vasco pegou a bola na esquerda, trouxe para o lado direito, passou por 5 jogadores do Fluminense , entrou na área e chutou forte no canto esquerdo do goleiro Murilo que não viu a bola. Era a vitoria do time da Colina, final de jogo! 4 a 3 Vasco.

VASCO

4

X

3

FLUMINENSE

Data: 13.09.2000 (Quarta) às 20h30min.

Competição: Copa João Havelange (Módulo Azul - 1ª Fase - 10ª Rodada).

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

Árbitro: Ubiraci Damásio (RJ), auxiliado por Aristeu Leonardo Tavares (RJ) e Hilton Moutinho Rodrigues (RJ).

Público: 17.142 pagantes (27.973 presentes). Renda: R$ 153.602,00.

VASCO: Márcio, Clébson, Odvan, Júnior Baiano e Jorginho (Valkmar 38' do 2º); Nasa, Paulo Miranda, Juninho (Luizinho 32' do 2º) e Juninho Paulista; Euller (Zezinho 45' do 2º) e Romário. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

FLUMINENSE: Murilo, Flávio (Alessandro 32' do 2º), César, Émerson e Paulo César; Roberto Brum, Donizete Amorim, Jorginho (Yan 37' do 2º) e Jorge Luiz; Agnaldo (Roni 24' do 2º) e Magno Alves. Técnico: Valdyr Espinosa.

Gols:

Magno Alves (pênalti) 2’do1º tempo. Fluminense 1 X Vasco 0

Agnaldo 12’ do 1º tempo. Fluminense 2 X Vasco 0

Romário (de carrinho) 27’ do 1º tempo. Fluminense 2 X Vasco 1

Juninho Pernambucano( de falta) 30’ do 1º tempo. Fluminense 2 X Vasco 2

Agnaldo 14’ do 2º tempo. Fluminense 3 X Vasco

Romário ( de pênalti) 17’ do 2º tempo. Fluminense 3 X 3 Vasco

Juninho Paulista( passe de calcanhar do Paulo Miranda) 27’ do 2º tempo. Fluminense 3 X Vasco 4

Cartões Amarelos: Júnior Baiano 1' do 1º e Paulo Miranda 42' do 1º (Vasco); Émerson 16' do 2º (Fluminense).

Espero que o Vasco vença de novo o Fluminense como aconteceu nesse dia 13 de setembro. Mas por favor, sem um sofrimento tão grande.

Até o próximo domingo,

Elisa de Vicq de Souza Dantas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário