20 novembro 2010

Anderson Vital, o Dedé além do futebol

Por: Carlos Gregório Júnior (@CarlosGregJr) e Luana Saud (@LuanaSaud)


A torcida votou e escolheu Dedé como o representante do Vasco no prêmio ‘Craque da Galera’. As exuberantes exibições do jogador ao longo da temporada foram, sem dúvida, fator determinante para essa decisão.


Sabendo de todo carinho dos cruzmaltinos para com o seu novo Xodó, o Blog O Sentimento Não Para preparou uma matéria especial. Nela, o Dedé é deixado um pouco de lado e quem entra em ação é o Anderson Vital, em quem o camisa 26 se transforma nas horas ‘vagas’.

O ‘Especial Dedé’ conta com opiniões de pessoas próximas ao jogador e com fotos exclusivas do dia-a-dia do atleta, do homem. Está curioso para conhecer o Anderson Vital? Então, não deixe de ler nenhuma palavra que esteja escrita abaixo:


O início e o episódio que quase estragou tudo


Dedé em sua primeira partida como profissional (Foto: Arquivo Pessoal)

Foi desarmando seus obstáculos da mesma forma que desarma seus adversários que Dedé conseguiu se tornar o que é hoje. O início de sua carreira não foi fácil e tudo poderia ter ido por água abaixo em 2007, quando o jogador acabou sendo dispensado do Volta Redonda. Na época, o então presidente do Voltaço, Rogério Loureiro, alegou que o atleta havia ido para um baile e chegado atrasado na concentração.


O atual camisa 26 do Vasco ficou transtornado com a situação e chegou a dar declarações dizendo que o que estavam fazendo com ele era uma injustiça. De fato, o zagueiro estava certo e a diretoria do Voltaço corrigiu o erro ao reintegrá-lo ao elenco alguns dias depois.


Demorou um pouco, mas Dedé justificou a aposta. Após fazer um ano de 2008 muito bom, o zagueiro fez um 2009 melhor ainda e se tornou uma das revelações do Campeonato Carioca. Tal feito fez com que o jogador passasse a ser cobiçado por vários clubes do futebol brasileiro, dentre eles Santos e Flamengo. Felizmente, para os vascaínos, ele escolheu o clube de São Januário para seguir sua carreira e, após um 2009 apagado, hoje brilha com a camisa do Gigante da Colina.


Um Dedé que poucos conhecem


http://4.bp.blogspot.com/_ttdpoNA8BUk/TOcNpfOR0bI/AAAAAAAADXA/FhpPkxHhC18/s1600/dede12.jpg

Dedé tocando 'Tantan' e posando ao lado de sua namorada Patrícia Gonçalves

(Fotos: Arquivo Pessoal)

Hoje ele é um dos grandes nomes do elenco vascaíno, um dos melhores zagueiros em atividade no Brasil e um exemplo de superação e humildade. Grande parte da torcida conhece esses atributos de Dedé, o novo xerife da zaga vascaína.


O jovem jogador, que por pouco não desembarcou no futebol italiano em 2008, renovou recentemente seu contrato como Vasco até o ano de 2014. Apontado como um das maiores promessas da posição, ele é de longe um dos atletas mais queridos dentro de São Januário.


E o que Dedé teria de tão bom para agradar tanto as pessoas? Em busca dessa resposta, entramos em contato com alguém próximo ao jogador, alguém que o conhece como ninguém. Esse alguém é nada mais, nada menos, que a namorada do atleta, Patrícia Gonçalves, com quem ele namora há mais de dois anos, e que o ‘resumiu’ da seguinte forma:

Posso resumir o Dedé com a seguinte palavra: guerreiro. Ele é uma pessoa muito amiga, brincalhona, e no fundo ainda é um molecão. Com as mudanças em sua vida, ele foi obrigado a adquirir maturidade e ainda mais responsabilidade com muita rapidez. É muito ajuizado em relação a companhias e locais a frequentar. Não gosta de bebida alcoólica, mas adora refrigerante (de preferência, Fanta) e suco de frutas. Não dispensa um churrasco, gosta de mocotó, bife de fígado, fast food, etc.


Ele é um tipo de cara que alegra o ambiente. É super discreto, mas quando se reúne com os amigos e família ele vira a pessoa mais extrovertida do mundo. Quer fazer a felicidade dele, é reunir os amigos do bairro junto com a família dele, é risada o tempo todo. Ama ouvir pagode e samba de raiz mesmo, principalmente dentro do carro. Gosta de Diogo Nogueira, Sensação, Revelação, Reinaldo, Bom Gosto e muitos outros. Ah, e ainda quebra o galho no ‘Tantan’ (instrumento musical).


Ele não gosta de brigar, evita ao máximo qualquer discussão e é incapaz de destratar alguém. É daquele tipo que resolve tudo na conversa ou até mesmo no silêncio. É a educação em pessoa. Sua família sempre em primeiro plano, tudo que faz é para seus pais e irmãos. Lutou com muita dignidade e paciência para chegar aonde chegou, sempre exaltando todos os seus parceiros de time.


Adora filmes de luta e detesta terror (às vezes tenho que ver sozinha porque ele não gosta). Amou o último Tropa de Elite que vimos. Na concentração além de conversar e fazer orações com o elenco, ele fica jogando sinuca na internet. No Rio, adotou a família do lateral Ernani, ele adora sua esposa e seu filho, são pessoas muito especiais! Ah, quer o ver ter crise de riso? É só colocar o DVD dos Melhores do Mundo - Hemanoteu na terra de Godah ou então colocar o cd de pegadinhas do Mução! (risos).


Resumindo: ele é uma pessoa extremamente calma, família, molecão, educado e tem um carinho muito grande pelos torcedores do Vasco da Gama. Enfim, é isso. Dedé é dono de milhões de qualidades.”


Um Dedé que os companheiros admiram


Dedé em mais um dia treinamento em São Januário (Foto: Arquivo Pessoal)


A importância de Dedé hoje no elenco do Vasco vai muito além das belas exibições dentro de campo. Fora dele, o camisa 26 se tornou um exemplo de perseverança e de sucesso. Isso fica evidente nas declarações de alguns setoristas e jovens do elenco vascaíno:


“O Dedé é gente boa pra caramba, humilde demais, brincalhão… Sincero, se tiver de falar na sua cara, ele fala! E eu me espelho nele sim, com certeza. Além de ser meu amigo, gosto do futebol dele, da garra quando está jogando. Eu desejo todo o sucesso do mundo e que ele continue sendo essa pessoa gente fina, que ele vai muito além do que imagina” - (Genílson, jovem zagueiro do Vasco).


Dedé é parceiro, humilde para caramba e um cara que merece tudo o que está acontecendo com ele. Sempre lutou muito para conquistar o espaço dele e sempre disse que quando entrasse não iria sair. Era um cara preparado, por isso tá fazendo esse Campeonato muito bom hoje” - (Max, lateral-direito do Vasco).


"O Dedé pra mim não é um amigo e sim um irmão! Me espelho muito nele, pela sua história e pela sua batalha. Hoje ele colhe os frutos! Glórias a DEUS pela vida dele, porque ele é um exemplo de humildade. Enfim, gosto muito e desejo tudo de melhor na carreira dele, porque ele merece muito!"- (Renato Augusto, volante do Vasco).


“A primeira vez que vi o Dedé, ele jogava pelo Volta Redonda contra o Flamengo e era muito parecido com Júnior Baiano. Hoje o cara tem personalidade própria. Cresceu por mérito próprio. Foi renegado no Vasco, estava pra sair na barca e, suando muito, agora é ídolo! Dedé é exemplo de um monte de coisa. De perseverança, de humildade, de esforço pessoal... Vive grande fase e ainda tem muita margem pra crescer. Se o Vasco arrumar um Mauro Galvão para jogar com ele, certamente Dedé será seleção. Um pouco mais de experiência e autoconfiança, ele decola!”- (Jorge Eduardo, repórter da Rádio Globo).


“Um jogador que evoluiu muito durante o Campeonato Brasileiro. Possui muitas qualidades. Sabe se antecipar e tem o tempo da bola, faz bons passes e é muito eficiente nas bolas aéreas. O Dedé tem outra virtude que precisa ser mais explorada: ele cobra muito bem faltas de pequena e média distância. Precisa treinar bem esse fundamento e se sentir seguro diante dos jogadores mais renomados, na hora de pegar a bola pra bater.”- (Rodrigo Campos, setorista do Vasco em 2009 e repórter da Rádio Manchete).


Dedé por Dedé


Dedé recebendo o prêmio de destaque no Carioca 2009 (Foto: Arquivo Pessoal)


Se amigos, companheiros, jornalistas e até a própria namorada do Dedé deram declarações a seu respeito, as palavras dele não poderiam faltar. Por conta disso, procuramos o jogador para bater um papo e, ao término dele, conseguimos decifrar o segredo do sucesso do camisa 26: HUMILDADE! Quer saber o por quê? Então preste atenção em cada uma das respostas do Mito, pois você descobrirá porque ‘todos têm zagueiros, mas só o Vasco tem Dedé’.


Como é do conhecimento de grande parte dos vascaínos, você não é um jogador oriundo das categorias de base do clube, mesmo sendo muito jovem. Foi no Volta Redonda, time da sua cidade, que você começou a jogar profissionalmente. Com base nessa constatação, gostaria que você me falasse um pouco sobre o início da sua carreira; Por quais clubes você passou? Quem sempre te apoiou nesse sonho?


Assim, comecei no Volta Redonda, onde fiz a minha base até chegar ao profissional, e em novembro de 2005 comecei a treinar com os profissionais e assinei meu primeiro contrato. Fui emprestado em maio de 2006 para o Fluminense e voltei em janeiro de 2007 para o Voltaço, onde continuei minha caminhada. Nos profissionais do Volta Redonda, eu só treinava e jogava nos juniores, mas em 2008 tive minha primeira oportunidade de jogar no profissional e me destaquei. Com isso, fui fazer um teste no Udinese da Itália, mas não deu certo e voltei em uma semana. Quando voltei, disputei em 2009 o Carioca e fui uns dos destaques do campeonato. Daí, fui para o Vasco, onde permaneço até hoje, Graças a Deus.


Você chegou ao Vasco como uma das grandes revelações do Campeonato Carioca do ano de 2009, mas demorou um pouco para se firmar e só nesse ano você conseguiu a titularidade. Como você conviveu com as críticas e com a desconfiança da torcida ao longo desse tempo todo?


Eu considerava tudo quanto era desconfiança e crítica, mas procurava não me abalar, pois sempre acreditei em mim. Na época, não tive quase nenhuma oportunidade... Esperei com toda a paciência e sempre treinando muito, ai surgiu a minha oportunidade e Graças a Deus ta indo bem legal ate hoje. (risos)


E hoje, como você analisa sua fase atual? Acha que vive o melhor momento da sua carreira?


É verdade, está tudo andando bem, Graças a Deus. Procuro trabalhar bem sério e forte. (risos) Estou muito feliz, com certeza é minha melhor fase.


As suas belas atuações no Campeonato Brasileiro (é o maior roubador de bolas da competição), para muitos especialistas, o colocam como postulante a uma vaga na seleção do técnico Mano Menezes. Com base, nisso pergunto: Você se sente preparado para vestir a camisa mais importante do futebol mundial, a camisa amarela da Seleção Brasileira?


Lógico que sim, e isso é um objetivo, o meu maior sonho como atleta.


Como se sente ao saber que hoje você é um dos maiores ídolos da torcida vascaína, que há muito tempo sofre com a falta de títulos e de jogadores identificados com o clube? Ainda em relação ao carinho da torcida, nos diga o que achou do #DedéFacts e o que pensa ao ser chamado de “Mito”.


Isso é muito legal, porque é sempre bom a gente ser elogiado e eu estou muito feliz mesmo com tudo que está passando na minha vida no Vasco.

Como já relatamos na pergunta anterior, o Vasco está há um bom tempo sem conquistar um título importante. Claro que as dificuldades e os problemas que o clube possui não serão resolvidos de uma hora para outra, mas em sua opinião, esse elenco do Vasco é capaz de dar alegrias ao torcedor no ano de 2011?


É sim, é um grupo muito bom de excelentes jogadores. Com esse elenco para o ano que vem, o time vai lutar pra conquistar os principais títulos.


Saindo um pouco do lado profissional, gostaria que você nos falasse quem é o Dedé que os familiares e os amigos mais próximos conhecem. Enfim, quem é o Dedé?


Eu sou muito divertido, palhação mesmo... Feliz demais, vivo rindo! Adoro ouvir um pagode de raiz e assistir a filmes de lutas. (risos)


Quem teve a oportunidade de acompanhar um treino do Vasco deve ter notado que você tem um relacionamento muito bom com os funcionários. Gostaria que você falasse um pouco sobre isso? Qual a importância deles para o sucesso do clube?


Verdade, eu tenho eles como amigos também. Como os atletas, eles sempre apóiam, na hora certa também brincam com todos... Muito legais mesmo!


Você, Rodrigo Caetano e seu empresário Fred Souza já confirmaram sua permanência no Vasco até o ano de 2014. O que te levou a tomar essa decisão de permanecer? A torcida ou a vontade de fazer história no clube foram fatores determinantes?


Tudo... O Vasco abriu as portas pra mim quando eu estava no Volta Redonda, vim pra cá, fui muito bem recebido e isso aqui passou a ser minha família. O acordo de contrato foi muito bom e a torcida me ajudando também é ótimo! (risos)


Por fim, gostaria que você mandasse uma mensagem para a torcida vascaína, que a cada dia que passa gosta mais do seu futebol e da pessoa que você é.


Quero que saibam que estou muito feliz e estou com eles até o final! (risos).


Fotos Exclusivas




contador de acessos grátis

Um comentário:

  1. Muito legal a matéria com nosso zagueiro, que na minha modesta opinião, foi o melhor defensor do campeonato embora ache que o craque teria que ser o Felipe, o Carlos Alberto enfim os jogadores que fazem a diferença mas infelizmente o Vasco não conseguiu jogar 10% dos jogos com seu time titular. O que quero dizer? Se tivéssemos o quarteto, mais o Ramón na lateral esquerda, um atacante mais efetivo que inexplicavelmente em se tratando de Vasco nunca antes nesse clube havia faltado, com certeza hoje estaríamos brigando por título. De qualquer maneira muito legal a matéria e a entrevista com o Dedé e espero que ele consiga manter essa mesma regularidade mas fazendo parte de um time mais agressivo, ofensivo e vencedor. Saudações vascaínas. VASCÃO BI CAMPEÃO MUNDIAL 53-57!!!

    ResponderExcluir